31 janeiro 2015

Blusa Doces Afetos

Feita pelo molde da revista Burda edição portuguesa de junho 2013. Não acham que tem "cara e jeito" de bata?

Segui as instruções para execução sem dificuldade alguma. O modelo é simples, o passo-a-passo na revista estava muito bem explicado incluídos desenhos super detalhados. Aliás, essa é uma das características positivas da Burda entre outras coisas que me faz apreciá-la.





Grande e discreta fenda frontal e botão encapado
Meu manequim da cintura para cima,  dependendo da confecção, é 42 poucas vezes é 44. 

Quando fiz as medidas do meu corpo seguindo instruções da Burda, achei que me encaixava mais no tam. 42 e desta forma segui as marcações do molde 42, é óbvio!! 


Gola com pequenos franzidos e o botão encapado
Cortei todas as partes no tecido, costurei, montei a blusa inteira. 

Lição aprendida nº 1: alinhavar antes de fazer a costura definitiva.



Ao fazer a 1ª prova, observei muitas sobras de tecido nas laterais, ombros caídos, mangas compridas, tudo ficou grande em mim, muito tecido sobrando, parecia estar vestindo um saco. Tive que diminuir tudo, só não mexi na gola pois achei que ficou ótima e mantive o comprimento das mangas quando deveria ter encurtado um pouco mais. 

Entrei nas costuras laterais, remodelei ombros, acinturei levemente as laterais - na modelagem é trapézio - sem saber se estava fazendo certo mas valeu cada minuto pois essas coisas acontecem e sempre deixam ensinamentos. Nesta fase, já não costurava na máquina, ia só nos alinhavos. 
Manga com elástico e detalhe arredondado na lateral


Pelas muitas diminuições que fiz, deduzi que se tivesse seguido a modelagem tamanho 40 teria dado certo.

Lição aprendida nº 2:
Cuidado com as modelagens da Burda européia. Os tamanhos são baseados nas mulheres alemãs que, naturalmente, possuem porte grande, são altas, mais largas nos ombros. O que é 46 lá, corresponde ao 44 aqui, o 42 seria então o 40 no Brasil (??).



Não desmerecendo as outras revistas de moda mas a Burda  é a minha preferida. Não compro outra e quando soube que entrou definitivamente no Brasil tornei-me assinante no mês seguinte. Ainda não fiz nenhuma modelagem pela edição brasileira que creio deve ter sido editada pelos nossos padrões (assim espero!!) que são diferentes da dos europeus, principalmente das alemãs.
  

Outra modificação que fiz por conta própria foi o comprimento. Na revista a modelagem é de vestido mas encurtei para ser blusa. O tecido recomendado foi cambraia de algodão mas usei o que tinha: tricoline leve de algodão. 

Veja como ficou em mim. O maxi-colar é um complemento que ajuda a assentar a grande fenda do decote que vai até entremeio do busto.


O tecido de florzinhas miúdas tinha a algum tempo, não recordo onde comprei mas desconfio que tenha sido no Varejão Chaves. Achei o tecido leve mas depois com a blusa pronta achei-o encorpado para esse modelo. Pensei que ficaria mais molengo. Quem sabe após algumas lavagens desarme um pouco. Depois de pronto penso que deveria ter feito em viscose. Não gosto quando o tecido arma no corpo. Mas, enfim, está cortado e costurado.

Lição aprendida nº3: Observar, estudar detalhes do modelo, conhecer tecidos e saber escolher qual o melhor a ser usado. 


Veja, como ficou armado nos braços!! Eu não tenho isso tudo de braço, o volume do tecido dá a impressão que meu braço é mais fino do que já é!!


Na foto abaixo dei uma abaixada no tecido do braço direito. Compare com a foto de cima.



 A blusa é ideal para ser usada na meia-estação: 
Outono ou Primavera. 


A manga que deveria ser 3/4 ficou comprida.
Não sei se volto a mexer nisso. Talvez... um dia... quem sabe?


Na imagem abaixo, é o modelo da revista em que me baseei para fazer a blusa.

Vestido-Túnica Doces Afetos
  
Com mangas balão a 3/4 e bolsos de chapa redondos

******************************************************************

Ênfase no brilho do colar, delicado e sutil desenho quadriculado nas gotas verdes rodeadas por rendado de metal dourado escuro. 

Meu comportado lado perua adorou o colar.

6 comentários:

  1. Fatinha, eu uso muito a Burda, tenho esse modelo na revista, gostei muito, o tecido é mimoso, fresco,
    acho que lhe fica muito bem, o colar é lindissimo, beijo e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Ficou muito linda a tua batinha, apesar do tecido ser encorpado. Se fosse eu cortava a manga mais curta, dava uma estreitada nela... Agora, baseada nas modificações que você fez, dá prá fazer outras mais tranquilamente com viscose, como você falou, ou com crepe de seda. Pode até fazer de uma malha fria, que o viés do pescoço é moleza de fazer em malha e elas são fininhas e derretidas.

    Quanto à Burda, tô meio decepcionada. Adorei que chegou no Brasil, comprei as quatro primeiras. Fiz uma blusa da edição de novembro (se não me engano) prá minha irmã, depois de assistir a Ana Cosentino vestindo e fazendo a mesma blusa no programa da Rede Aparecida, "Arte alguma coisa"... Bom, a blusa ficou horrorosa. Fiz uma outra prá minha Nana, seguindo o molde de outra revista - a do lançamento - e nem postei. Acho que a modelagem deles deixa a desejar, é muito grosseira... Tem sempre que fazer uma ajeitada aqui, outra ali - e acaba dando mais trabalho...As roupas ficam melhores quando eu mesma copio o molde de uma roupa pronta...

    Agora me diz uma coisa: Ronã malhas fechou? Porque sábado eu ia lá, telefonei prá saber até que horas ficava aberto e nos dois números disse que o número não existe mais!!! Será que a mudança de endereço "melou" o negócio? Se for, fiquei triste...

    Beijos, Fatinha querida. No final, adorei o tecido, eu teria comprado o mesmo prá mim, adoro florzinhas miúdas...

    ResponderExcluir
  3. Que linda, Fatinha! Vamos torcer que as lavagens já sejam suficientes para dar um caimento mais suave para a manga.

    Eu também sou fã da Burda! Tenho algumas portuguesas e agora sou assinante da brasileira.
    Nunca costurei modelos com modelagem larga como batas e vestidos larguinhos. Todas as peças que já costurei da Burda eram modelos mais ajustados, mais próximos ao corpo. Não percebi essa diferença da tabela européia para a nossa... Não precisei costurar um número menor... Não sou alta como as européias (tenho 1,70m), nem gorda, nem magra... Mas, já ouvi reclamações de que alguns modelos da Burda vem grandes demais ou pequenos demais. Acho que dei sorte nos modelos que escolhi.

    *Dica: antes de costurar um modelo Burda, dê uma pesquisada no blog abaixo. Tem resenhas de pessoas que já costuraram os modelos Burda (entre outras revistas e moldes avulsos). Assim, já ficamos atentas se o molde precisa de redução, ampliação ou se está ok. Bem legal! O blog é espanhol, então, o mês e ano da revista são os mesmos das edições portuguesas. Para saber qual é a revista brasileira que mostra aquele modelo, é só adicionar 6 meses (por exemplo, se elas dizem que a revista é de junho/2014, nós tivemos o mesmo modelo no Brasil na revista de dezembro/2014).

    Blog Patrón-Pedia:
    http://patronpedia.blogspot.com.es/

    Beijos e boas costuras!

    ResponderExcluir
  4. Fatinha, e pensar que faz tão pouco tempo que começou a se aventurar nesse mundo, hein? Eu tenho esse tecido, igualzinho. Fiz um vestido soltinho para a minha filha, mas não gostei do efeito porque ficou mesmo armado, gordinho. Uma musseline talvez? difícil cortar musseline, né?
    Adorei o texto da chuva. Escreve muito bem, com clareza e poesia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. muito linda essa blusa

    ResponderExcluir

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...